O casamento de Camila Alves e Matthew McConaughey

No dia 9 de junho, a modelo brasileira Camila Alves se casou com o ator americano Matthew McConaughey.

Eles optaram por  uma cerimônia íntima, realizada em tendas armadas no próprio quintal da casa deles em Austin, no Texas.

Como a festa durou três dias, os convidados ficaram hospedados lá mesmo, numa pequena vila montada especialmente para os amigos e parentes.

Os filhos de Camila e Matthew – Levi, que vai completar 4 anos em julho, e Vida, de 2 anos – abriram a cerimônia correndo descalços até o altar – ele, levando as alianças, e ela, flores.

O vestido da noiva – que adotou o sobrenome do marido e agora assina como Camila McConaughey – foi feito pela brasileira DuCarmo Castelo Branco, de 78 anos. Camila declarou que conhece a costureira desde criança e acha que ela já pensava em fazer seu vestido de noiva há uns 20 anos! A confiança da modelo era tanta que ela só esteve aqui para a prova uma vez, durante um dia e meio. O vestido foi feito à mão com a ajuda de 8 costureiras brasileiras e ficou pronto 22 dias depois da prova.

O bouquet, segundo divulgação, tinha flores de alcachofra e catléia. Vamos tentar descobrir a composição exata e contar para vocês.



Colaboração: Luciana Curiati

0 comentários

Casamento da Carol

Foi no sábado dia 26 o casamento da minha querida amiga e colega de trabalho (na agência), Carol.

Ela me pediu para fazer uma decoração bem simples, baseada em flores do campo, com arranjos pequenos e delicados. Isso porque o local escolhido foi o restaurante Ruella, que para quem não conhece, tem cara de bistrô tradicional, cheio de informações, super decorado já.

Fiz arranjos pequenos em copos bico de jaca, donzelas, lanterninhas, consomês e garrafinhas, e misturei as combinações nas mesas.

Para fugir da exclusividade das flores do campo, mesmo nos arranjos menores, usei mini-rosas, rosas, lisianthus e alecrim. Essa combinação também esatava no vaso da mesa de bem-casados.

No bar, aproveitei as garrafas e engradado da casa, e os arranjos eram variados, usando também mosquitinhos.

E na entrada da Ruella, coloquei flores em alguns dos vasos que eles já têm, pendurados na parede, e folhagem de ficus no chão.

Ficou tudo super bonito e leve! E o mais importante, os noivos amaram.

E aqui registro um agradecimento à querida Coca, que ajudou com coração, cabeça, olhos e mãos, e à equipe da Bebeta Schiavini, sempre solícita e cuidando para que tudo saia perfeito.

4 comentários

And the Oscar goes to…

Eu adoro filme que tem casamento, desde pequenininha. Babo nas produções, nos cabelos, nos vestidos, em tudo que envolve a festa.

Já que estamos em época de criticar e elogiar filmes que vão para o Oscar, queria saber de vocês quais consideram os casamentos favoritos, e os piores casamentos de cinema?

Abaixo, alguns para refrescar a memória. A maioria bem conhecida. Quem não assistiu Monsoon Wedding, recomendo muito. É lindo.

Quero opiniões e mais cenas ;)

0 comentários

Rock the party

Música de casamento não precisa ser tradicional para caracterizar o evento. É lindo ver a noiva entrar com a Marcha Nupcial, a benção das alianças ser ao som da Ave Maria de Gounod, as daminhas surgindo com algum tema da Disney para encanto dos convidados. Mas eu adoro ver casamentos que são tão a cara dos noivos que a música vira a trilha sonora de suas vidas, uma consequência natural.

No meu casamento a escolha das músicas foi algo muito sério. Sou musical, minha memória funciona nessa base, do som.
E na hora de escolher o que vai tocar no dia mais especial da sua vida, mil músicas aparecem na sua cabeça, vai por mim. Você acaba se lembrando daquela que amava, ou dessa nova que está em loop no iPod, ou daquela outra clássica que sempre achou tão linda.

Eu passei um sábado inteiro ouvindo tudo o que eu tinha. Marquei umas 60 músicas que serviriam para momentos diferentes da cerimônia, para depois passar pelo crivo do noivo, e só então eu definir. Só que com 60 na lista, nenhuma era A música para entrar ainda.

Até que ela tocou no rádio que me despertou no domingo. E um olhou pro outro e disse “é essa”. Linda, e ainda por cima, com um mantra.

O resto do dia foi escolhendo as outras. Queríamos uma cerimônia alto astral, e conseguimos.

Abaixo, meu set list. Talvez inspire alguma noiva indecisa, ou simplesmente seja gostoso para você ouvir hoje.

Como casei em um jardim, ao ar livre, queria que as pessoas fossem recepcionadas com uma música legal, bebidinhas, para controlar a ansiedade da espera de começar. Casar fora da igreja tem essa vantagem, a espera não incomoda tanto. É daí que parte a lista, com links para ouvir no Youtube:

RECEPÇÃO – jazz instrumental anos 20 (estilo abertura de filme do Woody Allen), uma coletânea que minha irmã gravou

PADRINHOS E NOIVO – Só tinha de ser com você, Tom Jobim. Precisava ser uma música mais longa (muitos padrinhos), e o noivo queria entrar com Bossa Nova. Essa, além da gente adorar, ficou perfeita.

DAMINHAS – minhas damas foram duas amigas da faculdade, que entraram dançando (mesmo!). Uma levando as alianças, e outra, uma flor para a lapela com um bilhete meu para o noivo. Para a dancinha super divertida e aplaudida, Crazy little thing called love (que me lembra os tempos da facul com elas).

NOIVA – Across the Universe, Beatles. Lennon escreveu essa música depois de uma briga com a primeira esposa. Mas a letra fala de coisas bem profundas, e no fundo, considero sempre o que a música diz para mim, independente das circunstâncias vividas pelo compositor. O mantra Jai Guru Deva Om tem o objetivo de elevar a mente a uma consciência superior, e é um agradecimento ao Guru Dev. Estava também escrito nas pulseiras que Lennon comprou quando visitou o seu guru Maharishi.

BENÇÃO DAS ALIANÇAS – Moonlight in Vermont, por Gerry Mulligan e Chet Baker Quartet, porque sou simplesmente apaixonada por essa música. O link vai para um trecho na Amazon, porque é o único que achei com essa versão que usei, e que é minha favorita.

CUMPRIMENTOS – Here comes the Sun (George Harrison), porque é alegria pura. Separamos mais músicas, mas essa era a principal.

SAÍDA – God only knows, Beach Boys. Porque ela resume um casamento tão bem, e seus instrumentos criam um efeito de igreja sem igreja, de ode, de celebração. Os padrinhos não sabiam, e saíram felizes cantarolando.

Aliás, muita gente veio dizer “amei as músicas, a cara de vocês!”.
Era o que queríamos.

Várias outras poderiam ser a nossa cara, certamente. Mas como a gente tem que escolher, pensei no que ouvi uma vez do estilista Junior Santaella: “O noivo que você escolheu representa o seu amor pelos homens que já amou. O mesmo é com vestidos. Você é uma mulher de vestidos. Todo vestido que provar, vai ficar lindo. O vestido que escolher representa o seu amor por todos os vestidos que já viu. Mas você tem que escolher um.
E com música é igualzinho, para quem ama.

1 comentário

Casamento na Colômbia

Eu senti muito por não ter ido ver minha amiga querida casar-se na Colômbia. Nos conhecemos em Miami, e são anos de amizade importante. Ela esteve aqui comigo quando me casei e sei o quanto isso é especial.
Mas a distância e o tempo não me permitiram dessa vez.

Em homenagem a Bita y Flaco, posto aqui algumas fotos do que foi seu lindo dia, na Hacienda Los Laureles.

Como a decoração foi bem colorida, com arranjos divinos de rosas em potes coloridos (até imitando melancia!), o bouquet da linda Bita foi clarinho. E nem precisava de consultoria né? Óbvio que as famosas rosas colombianas seriam essenciais! Com orquídeas, o resultado foi perfeito!

Felicidades mil a esse casal tão especial!

Fotos: de convidados

1 comentário

Fleur d’Épices no Senac

Essa semana formou-se mais uma turma de assessoras no curso da Vera Simão no SENAC, em SP.
No trabalho de conclusão do curso, as alunas devem organizar um casamento, com noiva e tudo. E tive o prazer de ser convidada para fornecer o bouquet!

O briefing pedia algo em tons de lilás e branco. A decoração seria verde e branca, então a escolha da cor foi bastante adequada.

Minhas outras perguntas foram relacionadas à noivinha: como era, altura, porte, estilo, como seria seu vestido e cabelo.
Chegamos à conclusão que o bouquet deveria ser pequeno, pois a noiva era baixinha. Além disso, algo pouco carregado e leve, porque a saia de seu vestido era de babados, e ela teria flores no cabelo.

Por fim, buscando flores frescas no dia, essa foi a minha escolha.

Um bouquet de crisântemos grandes e mini, tipo flores do campo. Coloquei também ramos de lavanda sem flor, ou seja, verdinhos.

Ficou lindo com a noiva, que era ruiva!

Obrigada às meninas do SENAC, em especial à Paulinha! Sucesso a vocês!

0 comentários

Ampliando os negócios

Para as meninas que perguntaram, que pediram para ver mais fotos do meu casamento e que elogiaram as escolhas – cores, lembranças, detalhes combinando – sim, fui eu quem fez tudo, com muito orgulho e feliz da vida.

E, oficializando algo que já venho fazendo de maneira extra-oficial, a partir de hoje a Fleur d’Épices também dá assessoria para a definição da cara da sua festa. O que é exatamente isso? Abaixo detalho, com exemplos do meu casamento.

- Definição de uma paleta de cores, a ser usada na decoração, lembranças, convite, cartões de agradecimento (ex.: laranja e vermelha, com transparências)
- Definição de patterns e texturas para serem aplicadas em tudo (ex.: florzinhas recortadas, madeira e tecidos mais rústicos)
- Detalhes para agregar (ex.: por ser ao ar livre, no calor, dei leques para as moças; os cones de arroz foram usados ao final da cerimônia, pois não provocaria escorregões por ser na grama; narguilés espalhados nas mesas de lounges, pois sou descendente de árabe e queria algo que celebrasse essa cultura; sapatilhas na pista, pois sou dançarina e tem mais a ver comigo que havaianas; mensagens nos guardanapos, nos bem-casados, dando um toque pessoal; além disso, as lembranças dos padrinhos e madrinhas, em caixas de madeira pintadas, com as florzinhas)

Todo o cuidado com isso faz com que seu casamento tenha uma harmonia, e não seja uma festa de loucos, mesmo usando cores fortes. No meu caso, os papéis foram idênticos em todas as peças, os tons também. E fiz tudo a mão.

       

    

  

  

  

Se você quiser fazer um casamento com um look harmônico e lindo, entre em contato!

1 comentário

Divertir-se

Muitas noivas ficam tensas na hora H. Naturalíssimo.
Afinal de contas, foram meses de preparativos, inúmeros detalhes para cuidar, e a ansiedade de imaginar como vai ser, que cara fará o noivo quando vir a noiva, quem estará lá, se tudo vai sair conforme o sonhado.

A maioria das noivas que converso é super exigente. Eu fui também. E no grande dia a gente fica tão atenta, tão ligada, que percebe tudo! Lembra de cada cartão enviado por cada convidado, percebe quem acabou não aparecendo, sabe imediatamente que esqueceram de colocar aquela florzinha naquele canto que você pediu, sabe em qual segundo da música tem que ser dado o primeiro passo, para tudo ficar perfeito. Parece loucura, mas não é necessário o menor esforço para ter todos os sentidos aguçados: acontece mesmo!

O importante é lembrar-se de uma coisa: qualquer bobagem que der errada será um detalhe tão pequeno, e do tipo que só você vai perceber, que não vale a pena gastar meio segundo se preocupando. As pessoas não estão percebendo, acredite.
E se as coisas maiores e mais importantes estão funcionando bem, a festa vai bombar, sem sombra de dúvida.

Eu quase dei uma de louca no meu casamento e não contratei a cobertura. Casei num espaço aberto, um jardim lindo. E meu sonho era casar a céu aberto. Rezava todo santo dia pedindo sol.
Dois dias antes havia previsão de chuva, e acabei mandando colocar. Mas foi a melhor coisa que fiz.

A chuva segurou o dia todo, e me esperou entrar. Quando eu pisei no altar, caiu forte. Durou a cerimônia toda. Quando terminou e estávamos saindo, a chuva também parou!! Foi lindo, e dizem ser uma bênção. Rendeu algumas boas fotos também, como essa, no momento em que a água desabou. Havia uma goteira entre meus pais (quem mandou eu fazer de última hora??).

Eu poderia dizer que não foi tudo como sonhei. O sol não brilhou o tempo todo, tive que colocar cobertura, coisa e tal. Mas eu digo que foi melhor que em sonho. Muito melhor.
Porque o imprevisto traz magia, e a gente não saber como será exatamente é onde está a graça da coisa. Claro que se o imprevisto for algo tranquilo de lidar. Imaginem essa cerimônia sem cobertura???

Sabe quando você conhece o filme de cor e salteado? Acaba abstraindo em alguns momentos e não vendo realmente. Acho que seria assim se tudo fosse igualzinho o planejado. A atenção e a emoção não teriam os mesmos níveis.

No fundo, quem faz o casamento são os noivos e sua alegria. Divertir-se é a alma do negócio. Relaxe e seja feliz, seu dia é único e será o melhor do mundo!

3 comentários

Débora e Bernardo, no Rio de Janeiro

Casar na Cidade Maravilhosa é algo a parte, não?
Parece que com tanta beleza nem precisamos de decoração!

A vista da cobertura onde foi a festa do casal Débora e Bernardo era essa aqui, de tirar o fôlego. As fotos são ruinzinhas porque estava escuro e tirei com blackberry. E o trânsito no Rio estava o caos, por conta do alagamento. Mas todos chegaram bem!

E os novinhos do bolo, fofos!
Os noivos, felizes!
E o bouquet, uma alegria só, com lírios e astromélias! AMEI!

Tudo foi muito bem trabalhado.
O bouquet nada tinha da decoração (como acho que deve ser!), que era feita com orquídeas, velas, vasos de vidro verde, e folhagens. Tudo sobre bases brancas (puffs e mesas).
Muito elegante. Ao mesmo tempo, via-se a informalidade natural do Rio, o que faz com que a gente sorria sem saber porque.
A leveza dos elementos combinados, mais o visual que se tinha do alto do prédio, tornaram a festa super especial!

E que os noivos sejam felizes para sempre!

0 comentários

Feliz 2010!!

Este ano será lindo. Tudo indica.
E nada melhor que começar o ano acreditando, não é verdade?
Gosto muito do cheiro de esperança no ar, típico dos janeiros. E das promessas, de ouvir as resoluções dos amigos, de mudanças de ideia, de vida.

Minha vida começou diferente em 2010 porque me casei em novembro de 2009.
E meu casamento, do qual cuidei nos mínimos detalhes, me traz ainda mais inspirações para trabalhar aqui, com flores, com noivas, com festas.

Deixo aqui duas fotos do bouquet que eu fiz no dia mesmo, usei feliz, joguei feliz e uma amiga pegou. E me disse que durou mais de 10 dias! Cheio de boas energias!

  

Particularmente, apesar de achar lindos os bouquets redondinhos, arrumadinhos, gosto mais dos bagunçados. Combina mais comigo, o estilo “acabei de colher essas flores aí no jardim”, com cara mais solta.

Usei dálias, astromélias, margaridinhas roxas, gloriosas – e pimentas, claro!

0 comentários